Plenária reúne sindicais e movimentos sociais em preparação ao Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência

Compartilhe: Facebook Twitter Google+



A pressão para que o governo federal não leve adiante a votação daquilo que ele chama de Reforma Trabalhista segue fortalecida após o carnaval no Rio Grande do Sul. Na manhã desta sexta-feira (16/02), a FeteeSul, a CUT-RS, demais centrais sindicais e representantes de movimentos sociais realizaram uma plenária de mobilização em preparação para o Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência. Realizado na sede do Sindicato dos Bancários, no centro de Porto Alegre, o encontro de hoje foi palco de acertos finais para a intensa agenda de mobilizações que vem sendo promovida pela união da classe trabalhadora brasileira.

Sindicatos da área da educação marcaram presença na plenária de mobilização para os diversos atos que vão tomar conta das ruas de Porto Alegre na segunda-feira (19/02), que é o Dia nacional de Luta contra a Reforma da Previdência. Representando a Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina , o coordenador-geral, Celso Woyciechowski, avaliou como fundamental o envolvimento dos trabalhadores da educação nos atos contra a Reforma da Previdência e outros ataques ao trabalhador brasileiro.

"A FeteeSul está plenamente integrada na construção dos atos do dia 19 de fevereiro, dialogando com os professores e técnicos administrativos para fazer esta grande mobilização contra a dita Reforma da Previdência. Estão claros os malefícios desse projeto, que a própria sociedade brasileira já se deu conta, principalmente no que diz respeito às mulheres, que sofrem profundos ataques e tem seus direitos bruscamente reduzidos com os projetos desse governo. É o momento de unificar a resistência e, por isso, essa plenária hoje recebeu representantes de muitas centrais e movimento sociais", avaliou Celso Woyciechowski, que encerrou sua manifestação convidando "todas e todos para dia 19 estarmos unidos nas ruas e na luta!"

Durante a plenária, houveram diversas manifestações pela construção do ato e acerto de demandas para a sua realização. Em sua fala, o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, lembrou de forma simbólica que um dos objetivos de fazer pressão constante é "botar horror nos deputados para que votem contra a reforma ou então eles não voltam", já que é ano de eleição. Nespolo lembrou ainda que, "se botar pra votar, é apagão geral dos trabalhadores".

Outros pontos levantados durante as falas de diversas pessoas ressaltaram diferentes aspectos da luta e formas de organiza-la. Entre elas, destacam-se a reflexão sobre o desfile de carnaval da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti, que demonstra que o povo brasileiro está acordado e que há reflexão para além dos movimentos sociais; de que o ato do dia 19 sai independente da votação, já que poderiam haver adiamentos com objetivo de desmobilizar; de que o golpe é muito mais do que as reformas trabalhista e da Previdência, já que existem outros diversos projetos nefastos na pauta do governo federal; da lutas das mulheres que se organizam para as atividades do 8 de março; entre outros pontos.

Confira a agenda de mobilizações em Porto Alegre para segunda-feira, dia 19 de fevereiro:
5h - Concentração no Monumento do Laçador, seguido de caminhada até o saguão de embarque do Aeroporto Internacional Salgado Filho para pressionar deputados e seus assessores que embarcam para Brasília;
7h - Concentração na Estação Rodoviária, com panfletagem aos usuários de ônibus e Trensurb e panfletagem em pontos do centro de Porto Alegre;
9h - Em marcha partindo da Estação Rodoviária, caminhada até o prédio do INSS, na Travessa Mário Cinco Paus, ao lado do Mercado Público, onde será realizado um ato em defesa da Previdência;
17h30 - Grande ato contra a Reforma da Previdência em frente ao mercado Público, no Centro de Porto Alegre.


Confira algumas fotos da plenária: